fbpx
Notícias

Empresário lança primeiro fast-food 100% automatizado do Brasil

Com atendimento e preparação por robô, o novo conceito tem como proposta oferecer a venda de pastéis e empanados gourmet de maneira simples e rápida.

Com a constante evolução tecnológica, muitos processos do nosso cotidiano estão evoluindo para oferecer mais agilidade, qualidade e precisão às pessoas e para as empresas. E a cada dia novidades aparecem mostrando que a automação está presente na sociedade mais do que imaginamos ou percebemos.

E neste sentido que o empresário de Caxias do Sul (RS), Fabio Rezler lançou o Bionicook, primeiro fast-food do Brasil totalmente automatizado, no qual o atendimento e preparação são feitos por um robô.

Há três anos o empresário começou com a empresa operando no modelo convencional, mas sentiu a necessidade de oferecer algo diferente para o mercado. “Nós iniciamos com atendimento tradicional, como todos os fast-foods, mas no decorrer do tempo percebemos que deveríamos fazer algo surpreendente e trazer alguma novidade para o setor. Neste momento tive contato com a robótica”, conta Fabio.

De maneira bem simples, o consumidor faz seu pedido por meio de um totem de auto atendimento e o robô executa a solicitação. O empreendimento utiliza robôs KUKA para preparar os pedidos.

“É um fast-food de pastéis e empanados, com porções já preestabelecidas que vêm congeladas e embaladas de fábrica. O robô inicia o processo de fritura e atendimento após o pedido e pagamento realizados pelo consumidor. Como o processo de fritura leva entre dois e três minutos, um dos mais rápidos do mundo, colocamos o equipamento para interagir com as pessoas por meio de mídia eletrônica em tablet manipulado pelo robô, além de merchandising e comunicados”, diz o empresário.

Fábio ainda esclarece que muito ao contrário do que se imagina, este novo modelo de negócio vai gerar ainda mais empregos, já que serão necessárias inúmeras funções complementares de retaguarda.

“Os robôs vêm para agilizar e fazer os trabalhos mais repetitivos. A célula robotizada no fast-food, tem um novo conceito e que, na outra ponta, vai gerar outras tarefas que serão executadas por pessoas, como a fabricação e preparação dos produtos, engenharia, monitoramento remoto, logística e gestão dos franqueados. Além disso, abrirá novas demandas de cargos administrativos e técnicos para a manutenção das células e dos robôs, por exemplo”, finaliza.

Atualmente o Bionicook está em modelo de franquia e os detalhes do empreendimento podem ser vistos no site da empresa.

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Excelente!
    Fico muito feliz ao ver o Brasil produzindo essa nova indústria, se renovando e inovando.

  2. Num momento em que se instala um governo com sérias restrições sociais, me preocupa demais a chegada desta tecnologia no Brasil. Não que eu seja contra, muito pelo contrário, sou profissional da Automação, mas a Automação deve ser utilizada para aumentar a SOCIALIZAÇÃO, com a redução da jornada de trabalho, entre outas ações a nível ONU. Somos animais gregários e o uso atual da tecnologia só está nos levando ao adoecimento, pela competitividade, pela ausência de contato social (hoje majoritariamente via redes sociais) ao invés de promover o bem estar social e maior ociosidade, o ócio criativo de que nos fala Domenico di Masi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar