A pirâmide da Automação Industrial

Quando falamos sobre automação industrial, nem sempre temos uma noção exata sobre o tamanho deste tema. Por vezes, quem está começando na área pode imaginar que automação industrial se limita a pequenos campos isolados sem nenhuma correlação.

No artigo de hoje, apresentaremos a pirâmide da automação industrial – um diagrama que representa, de forma hierárquica, os diferentes níveis de controle e trabalho em automação industrial através de cinco níveis.

 Pirâmide da Automação Industrial

Como podemos observar na figura acima, a chamada “pirâmide da automação industrial” apresenta os diferentes níveis de controle de automação industrial, desde os equipamentos e dispositivos em campo até o gerenciamento corporativo da empresa.

Veja a descrição de cada um destes níveis:

Nível 1 – Aquisição de Dados e Controle Manual: O primeiro nível é majoritariamente composto por dispositivos de campo. Atuadores, sensores, transmissores e outros componentes presentes na planta compõem este nível.

Nível 2 – Controle Individual: O segundo nível compreende equipamentos que realizam o controle automatizado das atividades da planta. Aqui se encontram CLP’s (Controlador Lógico Programável), SDCD’s (Sistema Digital de Controle Distribuído) e relés.

Nível 3 – Controle de Célula, Supervisão e Otimização do Processo: O terceiro nível destina-se a supervisão dos processos executados por uma determinada célula de trabalho em uma planta. Na maioria dos casos, também obtém suporte de um banco de dados com todas as informações relativas ao processo.

Nível 4 – Controle Fabril Total, Produção e Programação: O quarto nível é responsável pela parte de programação e também do planejamento da produção. Auxilia tanto no controle de processos industriais quanto também na logística de suprimentos. Podemos encontrar o termo Gerenciamento da Planta para este nível.

Nível 5 – Planejamento Estratégico e Gerenciamento Corporativo: O quinto e último nível da pirâmide da automação industrial se encarrega da administração dos recursos da empresa. Neste nível encontram-se softwares para gestão de venda, gestão financeira e BI (Business Intelligence) para ajudar na tomada de decisões que afetam a empresa como um todo.

Como podemos notar, o esquema demostrado através da pirâmide da automação industrial tenta organizar os diferentes níveis de controle existentes através da divisão em cinco níveis hierárquicos. Os níveis mais baixos estão diretamente relacionados com os equipamentos utilizados em campo, enquanto os níveis superiores tratam do gerenciamento dos processos, da planta e da empresa.

Até mais!

Desenvolvedor com foco em SEO e marketing digital. Blogueiro por diversão e apaixonado por tecnologia. Trabalhou como Analista de Marketing Digital para a SMAR Equipamentos Industriais. Graduando em Analise e Desenvolvimento de Sistemas.

38 Comentários em A pirâmide da Automação Industrial

  1. Sergio de Miranda disse:

    Parabéns pela iniciativa de publicar este artigo é destes profissionais interessados em passar informações que o pais precisa para atingirmos a maioridade.

  2. Marcos disse:

    Sugiro publicar algo que a maioria das pessoas do ramo ainda não sabe.
    Isso é muito basico.
    Somente vamos evoluir se inovarmos. Então ficar rediscutindo o “beabá” não ajuda em nada.
    E nem atrai leitores para o site.
    As pessoas vem para este site em busca de novos conhecimentos. Se não encontram, vão fugir.

    • Olá Marcos, tudo bem?

      Creio que levantou um ponto interessante ao fazer esta sugestão.
      Pois bem, o blog Automação Industrial atende a um público diverso, constituído – em sua maior parte – por estudantes com pouca experiência no setor. Como nosso objetivo é disseminar o conhecimento que temos afim de tornarmos uma referência no Brasil, é fundamental apresentarmos, além das novidades, os conceitos básicos para poder ajudar pessoas que ainda não possuem tanta experiência como você. Alias, ficaremos contentes caso possa complementar nossos artigos com alguma informação que possua e que possa servir para os demais.

      Um abraço!

      • rivonaldo disse:

        Realmente sou estudante de automaçao, concluo proximo ano e realmente, procuro aqui entender um pouco mais sobre automação

      • José Carlos disse:

        Pois é. Para mim, a informação foi interessante…

      • Thales disse:

        Prezado Guilherme, acredito que a informação divulgada em seu blog é sim de qualidade, por mais que seja sucinta, Exemplifico como isso ajuda, pois pelo menos para os Gestores quando desenvolvemos material de apoio para projetos de automação, eles não querem saber o protocolo de comunicação (ProfiBus, ProfiNet, etc), eles querem entender como o TODO funciona e esse artigo tem essa qualidade, explicar para um gestor, estudante ou até um técnico, como a automação industrial está ordenada. Obrigado e Parabéns!

    • Roberto Dias disse:

      Rapaz… É brincadeira !!! É muita gente sem noção…. O Cara não bate um prego numa barra de sabão pelo blog e ainda tá exigindo… Compra uns livros, cara!!! Vai ler… Deixa de preguiça ou abre a mão… Mas, né f**** !!!

  3. Enio disse:

    Isso mesmo, muito importante esse tipo de material. A respeito de ser básico, é verdade, mas é melhor ter o básico, por que tem muitas pessoas que nem isso conhece. Para mim está de parabéns.

  4. Rafaela Souza disse:

    Excelente artigo Guilherme.

    Vai ajudar bastante quem está começando agora nessa área.

    Parabéns.

  5. Rubén Mario Nazzetta disse:

    Oi Guilherme, parabéns, estou gostando dos artigos. Este poderia ser continuado abordando cada um dos níveis e especificando por exemplo, os tempos, volumes de dados, tipos principais de redes e informações sobre como escolher qual é a melhor rede para cada aplicação. Ainda informar sobre a disponibilidade destas redes no Brasil e os contatos.
    Abraços, e continua que esatmos gostando

    • Oi Rubén, obrigado pelo comentário!
      Sem dúvidas, suas sugestões são válidas e serão tratadas ao longo dos próximos artigos.

      Abraço!

      • Wellington disse:

        Parabens Guilherme pelos artigos , com certeza está ajudando muita gente , aos expertes que vem até o blog poderiam colaborar de uma forma positiva , critico de obras prontas temos muitos , mas com iniciativas como a sua são muitos poucos . Sucesso sempre

  6. Eduardo da Silva Avelino disse:

    Parabéns pela iniciativa da informação da pirâmide da Automação Industrial
    .Este conceito as vezes é vago na área industrial.

    Um abraço.

  7. Danilo Bicalho disse:

    Guilherme,

    Parabéns pela iniciativa. Acho muito válido artigos deste tipo, mesmo que básicos, pois quando comecei tive esta mesma dificuldade, tendo que aprender com a experiência.

    Um ponto interessante é saber de onde são tiradas as informações (normas, literatura, dissertações, teses, etc…), pois uma outra grande dificuldade que tive no início era saber onde buscar a informação. Além disto, esta famosa pirâmide varia um pouco de um lugar para o outro, por isto também a importancia de saber qual é a fonte.

    Aguardo mais publicações.

    Um abraço.

  8. PauloMGC disse:

    Sugiro fazer referencia à norma ISA 95, que define os níveis da piramide de automação de forma diversa da apresentada. Tratando-se de uma norma, reflete o consendo da comunidade.
    Conforme já comentado acima, já vi esta piramdie definida de diversas formas, às vezes até com 7 níveis! Porém, na minha opinião, existindo uma norma, esta deve ser a referencia.

  9. rogeriodrs disse:

    Post bem interessante, publiquei algo similar a um tempo atrás, de uma olhada quando puder. Abraço!

    http://rogeriodrs.wordpress.com/2010/06/23/automacao-industrial/

  10. Eduardo disse:

    As duas pirâmides mostradas (site e rogeriodrs) contrariam a norma ISA 95.

  11. Paulo Monteiro disse:

    Tem muito chefe administrativo que contrata pessoal de automação sem saber em qual nível a pessoa é mais especializada, causando problemas para todos, com o conhecimento da pirâmide pode-se ter certeza de estar contratando o profissional certo para a atividade…

  12. Gustavo Gava Milanezi disse:

    Guilherme Santos,
    Gostei muito do artigo. Conforme comentado pelos Srs. Rubem Mário Nazzetta e Danilo Bicalho algumas informações serão de grande ajuda, uma vez que o público não possui conhecimento uniforme sobre o assunto. Como comentado, diferentes classes de profissionais e estudantes acessam seus artigos (incluindo minha pessoa que trabalha nesse setor de automação), então gostaria de deixar uma sugestão:
    – Muitas pessoas não conhecem como ocorre a comunicação entre esses diferentes níveis. Como mostrado na pirâmide existem diferentes sistemas e protocolos de comunicação. Se for possível, gostaria de pedir que você pudesse explicar as particularidades de cada um. Essa informação ajuda muito aqueles que estão iniciando e também aos que não trabalham com certos protocolos.
    Desde já gostaria de agradecer seu trabalho pois ajuda muitas pessoas!

  13. Patrik Ezidio disse:

    Guilherme
    Excelente artigo,ainda mais quando mencionamos o termo banco de dados ignorado por inumeras gerencias de manutenção, para utilizar esses dados comopressuposto de recurso e novasaquisições quando falamos de absolesencia de peças e componentes…

  14. Anselmo disse:

    Sou funcionario em uma empresaa de monitoramento de alarmes,cftv; (controlados por uma sala de monitoramento e controle via internet,ethernet,gprs etc…) istalando também: porteiro eletronico,video porteiro, e outros equipamentos de segurança patrimonial.
    Tenho registro no crea como tec.em automação industrial,fiquei surpreso em saber que o crea recusou-se em conceder_me meu acervo alegando não possuir aptidão tecnica para os mesmos……isso e possivel….??? deixe sua opinião…

  15. Parabéns pelo blog e pela pagina no Facebook…..Com certeza vou indicar para vários clientes de minha consultoria….Grande abraço Ricardo Kubica.’.

  16. Nelson disse:

    O nosso amigo Marcos comentou que o conteúdo muito o básico, sou professor de instrumentação e controle de processos especialista em automação e Redes Industriais leio todos os artigos e acho que é desse conteúdo “básico” que 90% dos leitores e profissionais prescisam quem quer algo muito avaçado precisa de um bom embasamento de modelagem matemática de processos e isto tornaria as publicações menos acessadas.
    Parabéns.
    segue dicas de livros de controle avançado

    OGATA, Katsuhiko. Engenharia de controle moderno. ,

    NISE, Norman S. Engenharia de Sistemas de Controle.

    • Anderson Cardoso disse:

      Anderson:

      Sou professor na área de automação industrial venho reforçar o que o nosso amigo Nelson colocou com sabedoria. Se a maioria dos profissionais na área técnica tivessem um cuidado maior nas aulas conceituais, não encontrariam grandes problemas no seu desenvolvimento profissional, principalmente na implementação de projetos na área de automação.

    • Guilherme de Souza Sanchez disse:

      Nelson, quero focar em apenas um livro desses comentados por você. Ambos estão na minha bibliografia, mas não dou conta de ler dois, pode me indicar um ?

  17. Felipe Pacheco disse:

    Sensacional esse seu artigo Guilherme, sou estudando de Gestão de T.I e estou pagando uma cadeira de projetos, e o tema do meu caiu justamente Automação Industrial. Estávamos meio que perdido, mais depois dessa sua pirâmide, nos deu maiores opções de segmento dentro de Automação Industrial. Excelente artigo.

  18. Álvaro Batista disse:

    Independente do nível que estejamos num assunto nunca podemos deixar de lado ou até ignorarmos seus princípios básicos, afinal isso é fundamental para atingirmos o objetivo proposto.
    Quando se trata de compartilhar informação pública é sempre importante lembrar que todo dia tem gente nova, e que ainda precisa de tempo pra assimilar o que esta aprendendo.
    Diferente disso são os grupos fechados compostos somente por especialistas.

  19. Fernando Botelho Tavares disse:

    Parabéns ; Artigo muito interessante pra quem tinha dúvida sobre a pirâmide de automação tá ai.

  20. Antonio Carlos Moura disse:

    Tenho 26 anos de trabalho na área de automação industrial, trabalhei em grandes corporações e hoje estou como gerente de marketing de uma empresa da área. Vendi RS 1,5 bilhão em mais de 3.500 projetos de automação em 66 segmentos diferentes da industria brasileira e fora.

  21. Antonio Carlos Moura disse:

    Isto me faz repensar como professor de Lean service da PUC que este material contido aqui é de ótima qualidade. Reportagens devem ser breve e sumarizadas.As pessoas não tem tempo nem paciência de ler compêndios muito grandes. O tempo de um profissional no qual devamos fazer uma apresentação de nossos produtos e serviços não deverá ultrapassar os 15 minutos.

  22. Lucas Ellwanger disse:

    Obrigado pela piramide amigo vai me ajudar muito em uma cadeira da automação industrial.
    Vlw amigo pelo conteúdo e pelo site .

  23. fabio disse:

    realmente fantástico os post desse blog, por meio desses estou conseguindo cada dia mais informações para meu TCC.

Deixe seu comentário...