fbpx
Instrumentação

A era PT na Instrumentação Industrial

Estamos vivendo uma época bem complicada em relação a política, onde existe uma discussão bem profunda sobre qual sua posição e isso leva a denominação como petralha ou coxinha, mas nessa discussão ninguém comentou sobre a soberania do PT na instrumentação e eu vim aqui levantar esse assunto! Se você acha que vou falar de política, você está enganado, pois o PT que estou me referindo é o Pressure Transmitter, nosso transmissor de pressão! 😉

Crédito da imagem: Canal do Pirula – YouTube

Eu já comentei aqui em outras oportunidades sobre como o ensino técnico de instrumentação industrial já está bem ultrapassado nas melhores escolas técnicas e universidades do país, de fato ainda hoje toda solução ensinada em sala de aula gira em torno dos transmissores de pressão, ignorando todas soluções atuais e com várias vantagens sobre a tradicional solução com transmissor de pressão.

A variável pressão pelo menos no meu caso, foi a primeira variável que eu aprendi na escola técnica, mas no começo eu pensei que ela ficava por ali, onde é muito bem aplicada (medição de pressão).

Mas com o tempo eu aprendi que dava pra colocar pressão para medir outras variáveis como nível e vazão.

Todo meu conhecimento foi em cima dos transmissores de pressão para medir outras variáveis, princípios de medição de nível por radar, ultrassônico ou magnético para medir vazão não foram tão aprofundados e eu fiquei com pressão na cabeça para resolver todos meus problemas no campo.

Quando fui para o mercado de trabalho, fui diretamente atuar fazendo serviços para um grande fabricante e lá eu vi que na verdade já existia outras soluções muito melhores para medição de nível e vazão e que não envolvia pressão! Não me entendam mal, eu não sou contra usar pressão para medir vazão ou nível, mas temos que concordar que existem soluções melhores, isso não quer dizer “baixo custo” mas quer dizer “alta precisão e performance”!

Começando pela medição de nível, ainda vejo uma grande resistência com a medição utilizando radares, conforme eu comentei em outro artigo sobre radares, na maioria das vezes o medidor funcionará com uma simples configuração de empty e full, mas quando essa configuração não é suficiente, o cliente já fica com raiva do transmissor, pois para colocar o instrumento para funcionar, exigirá um conhecimento que não foi ensinado na maioria das formações.

Se compararmos com transmissor de pressão, todos sabem como colocar ele para medir nível, pois esse conhecimento é altamente difundido e não existem dúvidas de como fazer, mas quando falamos de uma tecnologia “atual” a coisa é bem diferente.

O radar oferece muito mais vantagens em cima de um transmissor de pressão, obviamente depende da aplicação (não são todas), mas o radar não sofrerá influência na medição de nível por conta da mudança de densidade, ou na mudança de temperatura, algo que o transmissor de pressão sofre, principalmente quando falamos de aplicação com capilar.

A instalação mecânica é algo que é importante para ambas tecnologias funcionarem de forma adequada, mas o transmissor de pressão pode medir erroneamente com uma instalação mecânica mal feita e essa medição errada, torna-se verdadeira e depois para mudar o conceito que ele sempre mediu errado será muito complicado.

Na medição de vazão algo que gostaria de comentar, é sobre medição de vapor e nela ainda reina o multivariável, o transmissor de pressão dinâmica, estática e com compensação de temperatura.

Primeiramente, não é nem um pouco simples a configuração desses tipos de medidores e na grande maioria, exigem um software diferenciado para acessar 100% das configurações (não é ?!). Outro ponto é utilizar placa de orifício, fala sério né? Só quem já passou pelo trabalho de tirar ela para “calibrar” sabe que já deu; além de toda instalação mecânica e potes de selagem serem pontos de erros na medição.

Uma alternativa melhor e que garante calibração por toda vida é o Vortex, neste caso a tecnologia está tão avançada que o medidor Vortex consegue medir a qualidade do seu vapor e isso representa muito na sua medição, pois pode economizar energia se souber utilizar essa informação de forma adequada (assunto para outro post).

Adivinha só? O Vortex não pede softwares dedicados, além de oferecer medição de massa direta com compensação de pressão e isso quer dizer que se o vapor alterar entre saturado e super aquecido para ele tanto faz, pois dentro do medidor já tem a curva de entalpia, fazendo ele corrigir a medição de forma automática!

Existem outros exemplos sobre a  soberania ainda dos transmissores de pressão, isso tem mudado aos poucos, mas ainda vejo muitos casos onde a tecnologia é predominante, eu até vi em 2016 uma medição de nível por borbulhador, algo que pensei que não existia mais!

Outro exemplo, foi uma concorrência a algum tempo, para medição de consumo de uma fábrica, onde todas medições  (vapor, água, gás etc) tinham como solicitação o princípio de medição por pressão com placa de orifício, pitot etc. Depois de demonstrar vantagens das tecnologias atuais, conseguimos alterar para melhorar a performance da medição, mas nem sempre os clientes estão dispostos a isso.

Logicamente a escolha da tecnologia, dependerá da aplicação e o investimento disponível para colocar um medidor. Deixe seu comentário, um curtir e compartilhe a mensagem.

Forte abraço!

Fabrício Andrade

Atua na área de instrumentação a mais de 10 anos, iniciando sua carreira na empresa JAT instrumentação com serviços de campo, calibração e suporte técnico. Foi field technician de válvulas de controle pela JAT representando a empresa Emerson Process Management. Após alguns cursos no Canadá, iniciou na Emerson Process Management com gerenciamento de ativos e manutenção preditiva, sendo certificado técnico de suporte nível III em Knoxville nos USA. Trabalhou na Endress+Hauser como gerente de produto sendo responsável pelo desenvolvimento das linhas WirelessHART, Comunicador de campo Field Xpert e Vazão no Brasil, recebendo prêmio internacional Heartbeat awards. Sua última posição na Endress+Hauser Brasil foi de gerente de negócios no desenvolvimento de soluções no Brasil, recebendo prêmio internacional de Rookie of the year em 2015. Atualmente, mora em Berlim na Alemanha e trabalha na Startup Digital Labs, com foco no crescimento da comunidade de automação e instrumentação com o Visaya.Solutions!

Artigos relacionados

16 Comentários

  1. Muito bom! Temos ótimas instituições de instrumentação e automação industrial no Brasil como o SENAI, mas realmente isso não quer dizer que não temos que pesquisar e abrir os olhos a tecnologias não difundidas durante os estudos acadêmicos,parabéns e sucesso!

    1. Olá Rubens, sim temos ótimas instituições e eles tem feito bom trabalho! Não é fácil se manter atualizado e ter budget para ter novos equipamentos! Vai muito do aluno correr atrás e buscar informação! Falando nisso, você pode ver muitas dúvidas diárias e muito mais coisas no http://www.visaya.solutions Forte Abraço!

  2. BOM DIA FABRICIO,
    PRIMEIRAMENTE PARABÉNS PELA SUA BRILHANTE CARREIRA,
    GOSTARIA DE ESTAR RECEBENDO EXEMPLOS DE APLICAÇÃO AS QUAIS FOI CITADAS EM SUAS BRILHANTES ATUAÇÕES EM CAMPO,PARA MODULAR INVERSORES DE FREQUÊNCIA COM MEDIDOR DE VAZÃO ELETROMAGNÉTICO E MEDIDOR DE NÍVEL RADAR,
    ABRAÇO SUCESSO.

    1. Olá Marcel, você pode entrar em contato comigo pelo Linkedin e posso te ajudar com contatos para te mandar referências de aplicação no Brasil. você também pode ver varios exemplo no http://www.visaya.solutions tenho postado diariamente. forte abraço

  3. Bom dia, muito bom o artigo.
    Na fábrica que trabalho ainda utilizamos muito dos transmissores de pressão para medição de nível. Mas temos também medidores de vazão ultrasonicos e magnéticos, não utilizarmos medidores de pressão para a variável vazão.

    1. Helison, boa tarde

      Ainda utilizamos muito transmissores de pressão diferencial para elementos de vazão tais como pitot, annubar e placa de orifício. Tanto para vazão de líquidos com vazão de gás.

    2. Legal saber que está utilizando tecnologias que medem diretamente vazão em seu processo, você também pode dar uma chance para os radares na medição de nível! Você pode ler mais sobre radares e medidores no geral em http://www.visaya.solutions e no meu linkedin também! abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo